Arquitetos do Rio Grande do Sul vencem concurso de projetos para sede da inspetoria do Crea em Campina Grande-PB | PiniWeb

Arquitetura

Arquitetos do Rio Grande do Sul vencem concurso de projetos para sede da inspetoria do Crea em Campina Grande-PB

Equipe liderada por Rochelle Rizzotto Castro apostou na criação de edifício de três pavimentos com cobertura verde, jardins verticais e vazios internos

Ana Paula Rocha
2/Julho/2010

A arquiteta gaúcha Rochelle Rizzotto Castro venceu o concurso nacional de ideias para o projeto arquitetônico da sede da inspetoria do Crea-PB (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia da Paraíba), a ser construído na cidade de Campina Grande, na Paraíba. Ao todo, 22 projetos participaram do concurso organizado pelo IAB-PB (Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento da Paraíba).

Divulgação
Fachada externa

Os concorrentes tinham como premissa a criação de um empreendimento sustentável com, no máximo, 600 m² de área construída. A equipe ganhadora projetou um edifício retangular de três pavimentos, onde os espaços de uso foram distribuídos de forma a criar uma série de pátios, vazios e grandes aberturas, característica principal do projeto.

Um desses pátios fica no hall de entrada do edifício, que foi transformado em uma praça aberta. Esse ambiente, além de recepcionar os visitantes, também poderá ser usado para a realização de eventos, apresentações e pequenas exposições. Além da praça, o pavimento no nível térreo abrigará um foyer, auditório flexível, sala de equipamentos e, na sua parte externa, estacionamento público.

Divulgação
Vista interna praça aberta

Já no nível administrativo estão a área de atendimento, uma agência bancária, secretaria e as salas de reunião, da Mútua PB, de Fiscalização e do Inspetor Chefe, entre outros ambientes de serviço, com o almoxarifado e a copa/cozinha. No nível subsolo, por fim, ficam o estacionamento reservado, hall de acesso ao piso térreo, depósito e área técnica.

Todos os pavimentos terão ainda jardins verticais para permitir uma relação entre a parte externa e interna do edifício. Os espaços verdes ainda têm a função de climatizar os ambientes, permitindo a entrada da água de chuva e equilibrando a temperatura. Essa condição ainda deve ser beneficiada pelo revestimento da fachada, feito com brises horizontais, para possibilitar a passagem de ar e iluminação natural, economizando o gasto com energia elétrica.

O projeto possui ainda uma cobertura verde, que, segundo a equipe vencedora, atuará como um colchão térmico natural, reduzindo ao mínimo o ganho térmico por incidência solar. O espaço ainda filtrará a água de chuva, armazenando-a em tanques para reaproveitamento posterior em serviços de irrigação e contra incêndio.

Além de Rochelle Rizzotto Castro, participaram da elaboração do projeto Luciano Andrades, Silvio Machado, Andrés Gobba, Mauricio Lopez Franco, Matias Cabral, Alvaro Mendes, Ken Sei Fong, Emiliano Etchegaray, Aldo Lanzi, Belén Garcia, Gabriel Giambiastiani, Nicolas Rudolph e Sebastian Martinez.

Divulgação
Vista interna nível administrativo

Divulgação
Divisão de ambientes

Divulgação
Planta subsolo

Divulgação
Planta nível térreo

Divulgação
Planta nível administrativo

Divulgação
Planta cobetura

Divulgação
Corte AA

Divulgação
Corte BB

Divulgação
Elevação Rua Távora

Divulgação
Elevação Rua Capiba

2º Lugar
Coordenador: Antônio Claudio Ximenes Massa - João Pessoa (PB)
Equipe: Antônio Gonçalves de Farias Júnior, Kleimer Martins de Souza, Márcio Andrade Lucena de Araújo, Rafael Montenegro de Queiroz, Tadeu de Brito Melo e Thiago Mateus Santos Bezerra
Colaboradores: Arnaldo Pereira de Moraes Júnior e Ciro Othon Costa de Lyra

3º Lugar
Coordenador: Maximiliano Beck - Porto Alegre (RS)
Equipe: Cauê Duarte Costa e Guilherme Ferreira Nogueira
Colaborador: Pablo Brum Morales

4º Lugar - Menção Honrosa
Coordenador: Leonardo Pinto de Oliveira - Brasília (DF)
Equipe: Rogério Pontes Andrade
Empresa: Oliveira & Andrade Arquitetos Associados