Novo campus da Universidade Federal de Uberlândia terá 2,9 milhões de m² | PiniWeb

Arquitetura

Novo campus da Universidade Federal de Uberlândia terá 2,9 milhões de m²

Projeto arquitetônico do Campus Glória foi criado por uma equipe da instituição, com consultoria do escritório Spadoni e Associados. Ao todo, 14 edifícios serão construídos até 2030

Gustavo Jazra
30/Novembro/2012

O planejamento do novo campus da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), cidade localizada no triângulo mineiro, começou a sair do papel no ano passado. Atualmente, três edificações multiuso estão sendo construídas - representando uma área de 16 mil m² -, outras quatro já foram planejadas e mais 10 projetos estão em andamento. O projeto do Campus Glória, como foi batizado, começou a ser desenvolvido em julho de 2010 por uma equipe interna da própria universidade.

Divulgação: UFU
Centro de Engenharias

O terreno de 2,9 milhões de m² receberá centro de convivência, biblioteca, restaurante universitário, bloco administrativo, centro de convenções, complexo esportivo, centro de pesquisas e edifícios multiuso. Além disso, o projeto ainda prevê um novo Complexo de Ciências Agrárias e da Terra, moradia estudantil, hotel, Central de Línguas e Escola Básica de Ensino (ESEBA).

A proposta contempla ainda a construção de um corredor ecológico interligando as áreas verdes do campus - o rio Uberabinha, o Parque Santa Luzia e o córrego Lagoinha. A valorização dos fluxos de pedestres, ciclistas e transportes coletivos e de espaços de convivência virá por meio da criação do Eixo Central e, em longo prazo, da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

"O projeto do VLT encontra-se em discussão pela administração superior da UFU, por meio da busca de recursos financeiros junto ao governo para sua viabilização", diz Elaine Saraiva Calderari, arquiteta da Diretoria de Infraestrutura da UFU e uma das coordenadoras do projeto urbanístico do novo campus. O percurso norte-sul terá três quilômetros de extensão e será integrado aos terminais e corredores de ônibus pré-existentes na cidade. "A proposta foi tão bem recebida pela comunidade universitária e o governo municipal e federal, que hoje se encontra um grupo de pesquisadores da Universidade elaborando um estudo de viabilidade para implantação do VLT em toda a cidade de Uberlândia", completa.

Canteiro-laboratório

Definido pela Administração Superior da UFU, o Grupo Técnico do Plano Diretor do Campus Glória (GTPD-Glória) conta com a participação de professores e membros da entidade e cerca de 15 estagiários de diversos cursos. Além disso, foi contratada a consultoria do escritório Spadoni e Associados, que possui outros projetos de grande porte como este.

"Entendemos que as universidades devam ser laboratórios que praticam o que ensinam, criando campus onde seu espaço físico torna-se um modelo", explica a arquiteta. Ainda segundo a Elaine, o Ministério da Educação (MEC) corrobora a iniciativa e evidencia para a necessidade da formação de grupos de profissionais da universidade responsáveis por propor soluções, adequações ou alterações no campus.

O grupo dividiu-se em sete frentes de trabalho para facilitar o controle e acompanhamento do planejamento. São elas: gestão ambiental, capacidade hidrológica, recursos renováveis, fluxos de circulação, funções sociais, paisagem urbana e técnicas construtivas.

Campus sustentável

Justamente por ser um empreendimento ecologicamente correto, economicamente viável, socialmente justo e culturalmente aceito é que o Campus Glória classifica-se como sustentável. De acordo com a coordenadora do projeto urbanístico, a nova unidade da UFU comporta-se "como um espaço de extensão da cidade, por meio da melhoria na qualidade ambiental, social, cultural e tecnológica na estruturação do espaço urbano".

Foram definidos cinco princípios estratégicos após uma série de pesquisas realizada pela comissão, em que estudaram novos campi universitários implantados no Brasil e no mundo. São eles "a participação popular, a adequação da morfologia urbana, a adaptação da mobilidade e acessibilidade, a inserção da urbanidade e a implantação de uma infraestrutura verde", segundo Calderari.

O GTPD-Glória realizou uma série de workshops, seminários, oficinas e mesas redondas para que fossem discutidas as propostas para o Plano Diretos do Campus Glória. As sessões eram destinadas a todos os interessados nas mudanças, em especial estudantes, professores e profissionais do setor.

As três unidades que já estão sendo construídas são executadas pela Construtora Alcance, vencedora do processo licitatório. A conclusão das obras iniciadas está prevista para janeiro de 2014. Entretanto, todo o projeto deve ser entregue somente em 2030.

Divulgação: UFU
Centro de Ciências Agrárias

Divulgação: UFU
Centro esportivo

Divulgação: UFU
Campo de futebol

Divulgação: UFU
VLT

Divulgação: UFU
Mapa

Confira, na próxima página, a ficha técnica do projeto.

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>
Revistas Pini
Destaques da Loja Pini
Aplicativos