Arquiteto João Pedro Backheuser vence o Concurso Porto Olímpico | PiniWeb

Arquitetura

Arquiteto João Pedro Backheuser vence o Concurso Porto Olímpico

Projetos de Roberto Aflalo, Francisco Spadoni e Jorge Jauregui também poderão ser aproveitados nas futuras instalações olímpicas na região portuária do Rio de Janeiro

Mauricio Lima
28/Junho/2011

A Prefeitura do Rio de Janeiro e o departamento fluminense do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RJ) divulgaram hoje (28) os vencedores do Concurso Porto Olímpico, para a seleção de projetos das futuras instalações olímpicas na região portuária da cidade.
 
O arquiteto carioca João Pedro Backheuser, classificado em primeiro lugar, será responsável por no mínimo 40% dos projetos da área de 850 mil m². O projeto prevê a construção da Vila de Mídia e da Vila de Árbitros, ambos com 11 mil quartos, um centro de convenções de médio porte, com 50 mil m², o espaço para equipamentos olímpicos temporários (como centro de mídia não credenciada, centro principal de operações, centro de distribuição de uniformes, centro principal de distribuição e centro de credenciamento), além de um hotel 5 estrelas integrado ao centro de convenções. Todas essas instalações serão construídas em terrenos cedidos pela União.
 
O projeto do arquiteto Roberto Aflalo conquistou a segunda colocação, seguido por Francisco Spadoni. Em quarto lugar ficou o trabalho da equipe liderada por Jorge Jauregui. Segundo a comissão organizadora do concurso, estes três últimos projetos também poderão ser aproveitados para os jogos de 2016. 
 
O resultado do concurso era aguardado com grande expectativa pela comunidade de arquitetos desde o adiamento da divulgação dos vencedores pela prefeitura em 23 de fevereiro. Segundo a gestão do município, o atraso no resultado foi necessário por conta do primeiro leilão dos Certificados de Potencial Adicional de Construção (Cepacs), realizado no último dia 13. A Prefeitura alegou que a divulgação dos resultados poderia afetar a formação dos preços dos Cepacs.
 
Confira mais imagens e resumos dos projetos fornecidos pelas equipes classificadas à organização do concurso: 
 
Primeiro Colocado
Autor: João Pedro Backheuser
Colaboradores: Luis Alonso Calleja, Sergi Bacaguer Barbadillo, Ignasi Riera Mas e Miguel Moragues Canela

Divulgação: IAB-RJ

A ideia central da proposta reside na criação de uma nova escala de vizinhança que integre os usos específicos dos terrenos leste (residências, espaços comerciais, de serviços) e oeste (hotel 5 estrelas, centro de convenções e centro empresarial) atendendo a todas as exigências do edital e buscando a articulação com um entorno diverso e fragmentado.

A proposta converte a avenida Francisco Bicalho em eixo monumental e porta de entrada da cidade, ao mesmo tempo em que recebe um desenho urbano que humaniza o seu aspecto e funcionalidade como via urbana requalificada. Para o terreno leste, foi criado um tipo de ordenação não convencional para conferir certa originalidade a um espaço aparentemente residual da área portuária, através do uso misto com unidades residenciais, espaços comerciais, de serviços e áreas públicas. A morfologia urbana configura uma ocupação híbrida onde ruas, praças e edifícios sejam indissociáveis. A distribuição de usos é flexível (uma largura única, 15 m, com alturas variáveis de 1 a 30 andares) e aqueles de caráter público foram colocados nas ruas principais (hotel, apart-hotel e hotel temporário), e os privativos (residencial) nas ruas secundárias e nos pátios interiores das quadras, buscando assim uma maior tranquilidade.

Divulgação: IAB-RJ

Foram criadas pequenas praças e ruas ladeadas de árvores e calçadas cômodas para os pedestres. No terreno oeste a proposta oferece uma ordenação de caráter mais monumental para adequar o programa e a escala dos equipamentos através de uma grande praça elevada de uso público (um embasamento de 3 andares e 15 m de altura), que envolve o centro de convenções, o hotel e o centro empresarial. Esta proposta rompe com a estrutura de divisão dos terrenos fragmentada e concilia uma escala do pedestre em relação à avenida Francisco Bicalho.

A implantação da rua intermediária que conecta a avenida Brasil com a avenida Francisco Bicalho permitiu duas estratégias distintas: os equipamentos de caráter público possuem os seus acessos ao longo da avenida  Francisco Bicalho (centro de convenções e hotel), enquanto o principal acesso ao centro empresarial está localizado na rua Melo e Souza. O lado oeste tem um papel importante na logística necessária para o centro de convenções.

Divulgação: IAB-RJ

O hotel com 45 andares adota a função de marco e farol para a cidade. A base do edifício tem geometria retangular e, à medida que ganha altura, se realinha em relação à Francisco Bicalho  no seu coroamento. Trata-se de um edifício singular e de aspecto mutante, com uso misto que adota geometrias, aparências e cores diferentes ao longo do dia.Todas as arquiteturas foram pensadas para um bairro sustentável onde se incluem conceitos de economia energética e respeito ao meio ambiente.

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | 4 | Próxima >>

Revistas Pini
Destaques da Loja Pini
Aplicativos