Desafios Técnicos | PiniWeb

Conteúdo Patrocinado

Desafios Técnicos

Jardins autoirrigáveis agregam vantagens ambientais e econômicas

5/Maio/2017

Por reter a água das chuvas e aumentar as áreas verdes, sistema TecGarden® permite somar pontos, seja para obtenção de selo de sustentabilidade, seja para gerar contrapartidas financeiras de outorga onerosa

Há quase uma década, os jardins autoirrigáveis sobre lajes têm sido utilizados em empreendimentos residenciais, comerciais e industriais desenvolvidos com a preocupação de reduzir impactos ambientais. Essa solução construtiva, baseada no uso inovador de placas de piso elevado produzidas com matéria-prima reciclada, permite armazenar a água das chuvas para reaproveitá-la na irrigação. Para o usuário, os ganhos são variados, do uso mais racional da água, passando pela baixa manutenção e pelo prazer de dispor de uma paisagem verde em meio ao cinza das cidades.
O sistema é uma alternativa às coberturas verdes, com as vantagens de não se limitar às vegetações rasteiras e admitir o tráfego de pessoas junto ao jardim. Ao possibilitar o plantio de arbustos e árvores de grande porte, além do ganho estético, os jardins autoirrigáveis contribuem para a redução de poluentes em suspensão.

GANHO DE ÁREA ÚTIL

De modo geral, sempre que há uma laje plana impermeabilizada, os jardins autoirrigáveis podem ser aplicados com vantagens, em comparação à cobertura verde convencional. Isso porque essa tecnologia possibilita criar reservatórios sob o piso para armazenamento temporário de água das chuvas. Com o TecGarden® é possível reter cerca de 70 litros/m² no vão criado entre a laje impermeabilizada e o substrato.

"A solução proporciona, ainda, melhor aproveitamento da área do empreendimento, já que dispensa a necessidade de construir reservatórios em área útil", diz Ricardo Paschoal, engenheiro de produtos da Remaster, fabricante do TecGarden®. Não à toa, importantes players do setor, como Cyrela e Melnick Even, apostam nessa alternativa, convertendo o espaço que seria utilizado na construção de reservatórios para retenção de águas pluviais em vagas de garagem ou em mais área comum disponível.

MENOS ENCHENTES

Em São Paulo, a entrada em vigor da Lei de Zoneamento (n° 16.402/2016), é um motivo a mais para a escolha dos jardins autoirrigáveis sobre lajes. A Lei introduziu o dispositivo de Quota Ambiental (QA), que corresponde a um conjunto de regras para ocupação dos lotes maiores de 500 m². Cada empreendimento, em função de sua localização e características, tem um valor de referência mínimo a ser alcançado obrigatoriamente. Superado esse valor, o empreendedor poderá receber incentivos através de descontos financeiros de outorga onerosa. "A ideia é estimular os empreendedores a investirem em soluções que contribuam para o enfrentamento de parte dos problemas ambientais da cidade", revela Marcelo Fonseca Ignatios, superintendente de estruturação de projetos da SP-Urbanismo, empresa pública que desenvolve ações de planejamento urbano para a Prefeitura Municipal de São Paulo.

Segundo Ignatios, os jardins autoirrigáveis podem incrementar a pontuação e, consequentemente o incentivo financeiro ao empreendedor, porque retém a água das chuvas e permitem o plantio de espécies arbóreas de diferentes portes. "Com a Quota Ambiental, criou-se um ambiente onde todos ganham. Os incorporadores serão estimulados financeiramente, novas tecnologias para serviços e produtos serão incentivados, haverá melhora do bem-estar dos ocupantes e a administração pública diminuirá, em médio e longo prazos, custos diretos e indiretos superiores ao desconto na outorga", acrescenta Felipe Faria, diretor-executivo do Green Building Council Brasil.

SELO VERDE

Os jardins autoirrigáveis também ajudam a obtenção de selos de sustentabilidade por empreendimentos que almejam esse tipo de certificação. "O TecGarden® contribui para certificação verde pela utilização de material reciclado (piso elevado) e pela diminuição de água potável para irrigação dos jardins", informa Ricardo Paschoal, lembrando que o sistema promove a irrigação dos jardins por capilaridade, economizando em média 30% de água, em comparação à irrigação por aspersão, e ainda dispensa bombeamento, o que demanda menor consumo de energia.

VANTAGENS ASSOCIADAS AO USO DO TECGARDEN®

- Aumenta a presença do verde em áreas urbanas e contribui para a redução de poluentes em suspensão
- Retém a água das chuvas, minimizando efeitos nocivos das enchentes
- Aproveita a água pluvial para irrigação
- Permite implantação de jardim com diferentes espécies vegetais (não apenas gramíneas)
- Agrega conforto térmico ao empreendimento e reduz as ilhas de calor
- Prolonga a durabilidade da impermeabilização da laje
- É sustentável. Utiliza materiais reciclados e recicláveis
- Agrega pontos para a obtenção do selo Leed (Leadership in Energy and Environmental Design)
- Em São Paulo, contribui para a obtenção de contrapartidas financeiras por ajudar o município a lidar com problemas de permeabilidade do solo

COMO TECGARDEN® FUNCIONA?

A água retida da chuva retorna por capilaridade, atuando como um lençol freático artificial.

DEPOIMENTO
"O baixo peso do sistema TecGarden® viabiliza sua implantação sem maiores impactos nos demais sistemas".
(Ana Cristina Carvalho, arquiteta e urbanista, gerente geral de produto da Cyrela.)

A REMASTER
TecGarden® é produzido com exclusividade pela Remaster, empresa 100% brasileira focada em soluções de engenharia e que traz em seu DNA inovação, pesquisa em alta tecnologia e conhecimento técnico. Desde 2016 a empresa possui uma aliança estratégica com a Eliane Técnica, marca do Grupo Eliane que desenvolve produtos e serviços técnicos para grandes obras. Maior exportador de revestimentos cerâmicos do Brasil, a Eliane está presente em mais de 15 mil pontos de venda, que também comercializam as soluções Remaster.

Clique aqui e faça agora um contato direto com a Remaster.

Revistas Pini
Destaques da Loja Pini
Aplicativos