Leilão de aeroportos alcança R$ 24 bilhões | PiniWeb

Infraestrutura

Leilão de aeroportos alcança R$ 24 bilhões

Ágio global da concessão do aeroporto de Guarulhos, Campinas e Brasília é de 348%

Marina Pita, da revista Infraestrutura Urbana
6/Fevereiro/2012

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) concluiu nesta segunda-feira (6) o leilão para ampliação, manutenção e exploração dos Aeroportos Internacionais de Brasília (DF), Viracopos (Campinas-SP) e Guarulhos (SP). O valor global do leilão alcançou pouco mais de R$ 24,5 bilhões, cifra 4,5 vezes superior aos R$ 5,4 bilhões definido como valor global mínimo pelo governo.

Pela concessão de 20 anos do aeroporto de Guarulhos, o consórcio Invepar-ACSA, do grupo OAS, pagará R$ 16,21 bilhões, 373,5% de ágio. O consórcio Triunfo arrematou o aeroporto de Viracopos, pelo qual pagará R$ 3,21 bilhões em 30 anos, ágio de 159,8%. O consórcio Inframérica Aeroportos, com participação majoritária da Engevix, pagará R$ 4,4 bilhões pelos 25 anos de concessão, ágio de 673,39% em relação ao valor mínimo de leilão. Estes valores serão pagos em parcelas anuais corrigidas pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Os vencedores do leilão de Guarulhos e Campinas foram decididos logo na abertura de envelopes, uma vez que os demais consórcios não elevaram a oferta durante o leilão viva-voz subsequente. Já o vencedor do leilão do aeroporto de Brasília só foi conhecido depois de oito lances em viva voz. O maior valor apresentado durante a abertura de envelopes foi o do consórcio ADC & HAS-Fidens-Millstream. O consórcio Operadora Brasileira de Aeroportos também se manteve na disputa durante o leilão em viva voz.

De acordo com os representantes dos consórcios vencedores, a definição de valores bem acima do mínimo estabelecido pelo governo é resultado de meses de estudo com uma série de consultores, incluindo empresas internacionais. "Tivemos como base um estudo de oito meses que envolveu mais de 100 pessoas. Estamos seguros da nossa estratégia e avaliamos que esta é uma grande oportunidade", afirmou Gustavo Rocha, presidente da Invepar, empresa majoritária do consórcio que venceu o leilão pelo aeroporto de Guarulhos.

Os representantes do governo evitaram indicar a possibilidade de subvalorização dos ativos, mas Marcelo Pacheco dos Guaranys, diretor-presidente da Anac, afirmou que por ser este um processo novo, ainda há um aprendizado do modelo de negócio das empresas para melhorar a precificação.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) agora fará uma análise do julgamento dos documentos de habilitação dos consórcios vencedores e terá de responder a procedimentos de vista e recursos. A homologação do resultado deve ocorrer apenas no dia 20 de março.
Batido o martelo, os consórcios vencedores e a Infraero criarão uma Sociedade de Propósito Específico em que a empresa governamental terá 49% de participação, contrariando a sugestão do Tribunal de Contas de União.

1 | 2 | Próxima >>

Revistas Pini
Destaques da Loja Pini
Aplicativos