Cálculo do BDI em obras públicas | PiniWeb

Notícias

Cálculo do BDI em obras públicas

5/Junho/2002
Paulo Roberto Vilela Dias
presidente do Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos


Artigo de Paulo Roberto Vilela Dias, presidente do Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos, apresenta alguns exemplos de cálculo do BDI para obras que, supostamente, poderiam ser aplicadas aos órgãos públicos. "O percentual de BDI a ser adotado pelos órgãos públicos nos orçamentos deve ser variável, em função do prazo, do valor e da localização da obra", diz Dias.

Cálculo do BDI em obras públicas
Este artigo apresenta alguns exemplos de cálculo do BDI para obras que, supostamente, poderiam ser aplicadas aos órgãos públicos. Tem-se por base Prefeituras ou Secretarias de Estado de Obras ou outros órgãos contratantes cujos preços das tabelas contemplem exclusivamente os custos diretos dos serviços.

A formação do preço de venda de serviços de engenharia e arquitetura é a seguinte:


Custos diretos + Custos indiretos + Lucro = Preço de venda

Como o BDI representa a incidência dos custos indiretos e do lucro sobre os custos diretos, tem-se que:

% BDI = (Preço de venda ÷ Custo direto) -1

O Custo direto será calculado em função da tabela do órgão contratante. Dessa forma, determina-se os principais custos indiretos incidentes sobre os serviços de engenharia de um modo geral, ou seja, considera-se a mobilização e desmobilização da obra, a administração local, a administração central, os encargos financeiros, os impostos sobre a nota fiscal e o lucro.

Cabe salientar que os impostos sobre o faturamento e o lucro são aplicados sobre o preço de venda do serviço. O BDI só pode ser calculado por obra - função das necessidades e exigências do órgão contratante. Entretanto, de forma a realizar uma análise genérica desses valores, deve-se considerar o seguinte:

Mobilização e desmobilização: considera-se o percentual médio prático de 1,5%.

Administração local: calculou-se, a seguir, considerando-se duas hipóteses: a primeira para tempo parcial da equipe de apoio ou de administração da obra e a segunda para tempo integral da equipe administrativa, conforme descrito em planilha própria.

Administração central: considerou-se o percentual médio relativo ao custo efetivo das grandes e médias empresas: 4%.

Expertise




Encargos financeiros: considerou-se 1% referente à correção monetária do capital da empresa aplicado ao contrato.

Impostos sobre a nota fiscal: considerou-se os impostos que são aplicados sobre a emissão da nota fiscal, lembrando que são pagos sobre o faturamento e não sobre o custo (veja tabela 6).

Lucro do contrato: considerou-se 7% sobre o preço de venda.

Atribuiu-se cinco valores para os contratos de obras: 150 mil, 350 mil, 650 mil, 950 mil e 1,5 milhão de reais. Os prazos dos serviços são de três e quatro meses, com utilização parcial ou integral da equipe de administração em função do valor do contrato de cada obra. Ou seja, para os dois menores contratos admitiu-se a possibilidade da utilização da equipe parcial.

Veja, a seguir, as tabelas-resumo dos BDI's encontrados, com a utilização da equipe de apoio considerada pertinente.

BDI - CÁLCULO DO CUSTO DA ADMINISTRAÇÃO LOCAL


  • Tabela 1 - Exemplo 1 Utilização parcial da equipe de apoio

  • Tabela 2 - Exemplos 1 e 2 Utilização parcial da equipe de apoio

  • Tabela 3 - Exemplos 3 e 4 Utilização integral da equipe de apoio

  • Tabela 4 - Exemplo 5 Utilização integral da equipe de apoio

  • Tabela 5 - Tabela de salários

  • Tabela 6 - Impostos sobre o faturamento

    CÁLCULO DO BDI


  • Tabela 7 - Exemplo 1 Orçamento de R$ 150.000,00

  • Tabela 8 - Exemplo 2 Orçamento de R$ 350.000,00

  • Tabela 9 - Exemplo 3 Orçamento de R$ 650.000,00

  • Tabela 10 - Exemplo 4 Orçamento de R$ 950.000,00

  • Tabela 11 - Exemplo 5 Orçamento de R$ 1.500.000,00