Como aplicar o revestimento de gesso em lajes em que foram usados desmoldantes? Em que fase da obra devemos colocar o revestimento de gesso nas paredes e no teto, visto que, para aplicar o piso, temos de molhar a laje? Quais as vantagens que o gesso... | PiniWeb

Notícias

Como aplicar o revestimento de gesso em lajes em que foram usados desmoldantes? Em que fase da obra devemos colocar o revestimento de gesso nas paredes e no teto, visto que, para aplicar o piso, temos de molhar a laje? Quais as vantagens que o gesso...

12/Dezembro/2000
Como aplicar o revestimento de gesso em lajes em que foram usados desmoldantes? Em que fase da obra devemos colocar o revestimento de gesso nas paredes e no teto, visto que, para aplicar o piso, temos de molhar a laje? Quais as vantagens que o gesso apresenta sobre a massa única e vice-versa? Até que ponto podemos trocar as paredes de alvenaria por divisórias de gesso? Quais as vantagens e desvantagens dessa troca? Obs.: as dúvidas acima referem-se a obras verticais.
Pergunta elaborada por Mustafá Bezerra Batista(Juazeiro do Norte-CE); Resposta de referência por Vanderley M. John( IPT-Divisão de Engenharia Civil); Palavras-chave: revestimento, laje, desmoldante, massa única, gesso, drywall; Abordagem(ns): Gesso, Qualidade na execução

1) Aplicação de gesso sobre lajes com desmoldante

Caso o concreto, após a desmoldagem, apresente características hidrofugantes (o que pode ser facilmente constatado aspergindo água na superfície) não pode ser aplicado sobre ele revestimento algum à base de água, como argamassa de cimento ou mesmo pasta de gesso, porque a resistência de aderência será drasticamente reduzida. Nestes casos, deverá ser feita a remoção mecânica da camada superficial do concreto com emprego de lixadeira elétrica, jato de areia ou apicoamento convencional.

2) Fase da obra para aplicação do gesso

Embora em termos de engenharia o gesso seja classificado como aglomerante aéreo, tendo, por essa razão, seu emprego limitado a ambientes secos, o produto resiste a breves contatos com a água, particularmente se esta estiver parada.
Assim, o umedecimento da laje de piso para aplicação do piso e do contrapiso não deverá causar maiores problemas ao revestimento de gesso previamente aplicado, desde que evitada a formação de poças de água.

3) Gesso x massa única
Diferentemente da massa única (monocamada à base de cimento), os revestimentos de gesso são empregados somente em locais livres de contato com a água no interior do edifício.
A principal vantagem dos revestimentos de gesso em pasta sobre as argamassas convencionais é que os primeiros apresentam acabamento equivalente ao da massa corrida, inclusive na cor. Oferecem, ainda, elevada aderência.
Por outro lado, sempre que houver um contato acidental com água relativamente prolongado, o revestimento é localizadamente destruído. Os revestimentos de gesso são também mais difíceis de aplicar, pois nos gessos nacionais o tempo de pega é bastante curto, provocando, muitas vezes, desperdício de material.

4) Divisórias de gesso

São uma solução quase universal para divisórias internas, especialmente na forma de gesso cartonado (plasterboard). Comparativamente às alvenarias, as divisórias pré-moldadas apresentam vantagens executivas, tanto em relação à organização do canteiro quanto de prazo de execução. O desempenho da parede resultante vai depender das características do painel empregado.