Concreto 100, o software de cálculo estrutural da PINI e TQS | PiniWeb

Notícias

Concreto 100, o software de cálculo estrutural da PINI e TQS

4/Julho/2006
Concreto 100, o software de cálculo estrutural da PINI e TQS

Um software de cálculo estrutural para edificações de pequeno e médio porte, com preço competitivo. Este foi o passo inicial para o desenvolvimento do Concreto 100, parceria da PINI _ líder em informações e produtos para os profissionais da construção civil _, e da TQS Informática, que há 17 anos desenvolve softwares para engenharia estrutural no Brasil.

Com o Concreto 100, a PINI e TQS pretendem atingir um universo de cerca de 30 mil empresas. Para facilitar a vida destas empresas, o software poderá ser adquirido em 10 vezes. "Depois de adquirir o software, que custa R$ 1.728,00 à vista, ou R$ 2.160,00 em 10 parcelas iguais, o usuário poderá fazer upgrades futuros, abatendo o que já pagou inicialmente", explica José Pires Alvim, diretor da PINI Sistemas. Só para se ter uma idéia, um software de cálculo estrutural completo, custa hoje em torno de R$ 30 mil.

Para Guilherme Covas, sócio-diretor da TQS Informática, o Concreto 100 é uma importante ferramenta de apoio ao engenheiro estrutural. "Além do lançamento estrutural, através de um editor gráfico inteligente e de fácil utilização, o Concreto 100 calcula os esforços solicitantes, faz o dimensionamento, detalhamento e desenho completo dos elementos estruturais, inclusive a emissão dos desenhos finais de engenharia", descreve.
Para conhecer melhor o produto, leia, a seguir, entrevista com Guilherme Covas sobre a abrangência do Concreto 100.

Quais as principais características do Concreto 100 e para quem é dirigido o programa?

O Concreto 100 é um software integrado, voltado à elaboração de projetos estruturais de concreto armado. É uma importante ferramenta de apoio ao engenheiro estrutural. Os elementos tratados são: vigas, lajes, pilares, escadas, sapatas e blocos. Além do lançamento estrutural, realizado através de um editor gráfico inteligente e de fácil utilização, o Concreto 100 calcula os esforços solicitantes, faz o dimensionamento, detalhamento e desenho completo dos elementos estruturais, inclusive a emissão dos desenhos finais de engenharia. Todos os profissionais envolvidos na atividade de elaboração de projetos estruturais são potenciais usuários do Concreto 100.

O Concreto 100 é destinado ao cálculo de estruturas de pequeno e médio porte? Ainda não havia um produto para este nicho de mercado? Por que?

Sob o ponto de vista global, o Concreto 100 é voltado a edificações de pequeno e médio porte de até cinco pavimentos. A capacidade de elementos que podem ser processados simultaneamente é a seguinte: 35 vigas, 30 lajes e 35 pilares em toda a edificação. Alguns produtos para este segmento do mercado estão disponíveis. Mas o Concreto 100 se destaca por ser um sistema diferenciado, pois incorpora o conhecimento técnico (engenharia e informática) da empresa TQS Informática em sua filosofia e procedimentos.

Qual é essa filosofia e quais são as principais características do software?

Uma destas características é o cálculo dos esforços solicitantes com maior exatidão, através da flexibilização viga/pilar e tratamento de vigas de transição. Não basta para um software realizar um dimensionamento e detalhamento adequados se as solicitações são imprecisas. Outro ponto fundamental é o detalhamento das armaduras visando à economia de materiais. O engenheiro estrutural tem que se sentir seguro na ferramenta computacional que está utilizando para fornecer ao seu cliente um projeto estrutural competitivo, em termos de consumo de materiais, desde que sejam atendidos, também, os requisitos de segurança, funcionalidade e durabilidade. Como o Concreto 100 é um produto derivado dos Sistemas CAD/TQS, todas estas características fundamentais, já desenvolvidas para os projetos estruturais de grande porte, foram incorporadas ao software. Esta abordagem não teria sido possível com o desenvolvimento apenas de um sistema para as edificações de pequeno e médio porte.


Outra grande vantagem do Concreto 100 é que será muito mais barato fazer o upgrade do programa. Por que? Como isso funcionará?

Os clientes que optarem pelo Concreto 100 poderão migrar naturalmente para outros sistemas CAD/TQS, com maior capacidade em pavimentos, elementos, área, etc. Grande parte dos valores efetivamente pagos (descontadas apenas as despesas administrativas e comerciais) para a aquisição do Concreto100 serão, automaticamente, computados como crédito para a aquisição dos Sistemas CAD/TQS de maior capacidade. Toda a família de sistemas disponíveis da TQS estará disponível para a migração (sistemas com 8, 20 ou número ilimitado de pavimentos). Outro ponto importante nesta migração é o total aproveitamento do aprendizado realizado na utilização do Concreto 100, pois a filosofia dos sistemas é absolutamente a mesma. Atualmente, o que ocorre no mercado, com muita freqüência, quando usuários de sistemas de pequeno porte necessitam migrar para sistemas mais profissionais e de maior capacidade, é a aquisição de um sistema de outro fornecedor (geralmente o CAD/TQS) perdendo todo o investimento já realizado no software e principalmente, em treinamento. Esta é uma grande vantagem competitiva para se começar a utilizar o sistema Concreto 100 para a elaboração de projetos estruturais.

O preço do Concreto 100 é acessível para o público a que se destina? Quais as principais vantagens de custo/benefício do programa?

Pode-se afirmar que o preço estabelecido para o Concreto 100 é totalmente compatível e acessível aos usuários que elaboram projetos de pequeno e médio porte. A forma de pagamento parcelada é muito atrativa. Fazendo uma comparação, similar à realizada por uma empresa de software internacional, líder do mercado de sistemas para edição gráfica (CAD), o custo por hora da utilização do sistema é de cerca de R$ 1,20(utilização de 8 horas por dia em 10 meses). Mas o principal ponto a ser abordado é a relação custo/benefício. A ferramenta de informática pode ser onerosa ou acessível dependendo dos benefícios que ela pode trazer ao usuário. Se o sistema não opera corretamente, ou não traz os resultados esperados, qualquer preço é oneroso. Mas se a ferramenta é adequada, e isto se pode afirmar com toda a segurança sobre o Concreto 100, ela vai ser utilizada tantas vezes que o preço se torna relativo.

Quais as outras vantagens do Concreto 100?

É importante ressaltar que o Concreto 100 emite de forma completa os desenhos de um projeto estrutural. Nenhum outro sistema é necessário, além dele, para a finalização do trabalho. Além disso, na análise dos benefícios produzidos por um sistema computacional para a engenharia estrutural, alguns pontos são, também, muito importantes de serem considerados: resultados confiáveis, validação dos resultados obtidos, consumo de materiais e se o sistema é competitivo em termos de produção. Isso porque não se deve entender um sistema computacional para a engenharia estrutural como sendo apenas uma "máquina" que produz projeto estrutural, sem a adequada participação do engenheiro estrutural. O engenheiro é um elemento fundamental no processo de elaboração do projeto. O sistema realiza cálculos, análises e produz relatórios e desenhos técnicos. Cabe ao engenheiro estrutural, fornecer as informações corretamente, analisar, comparar, validar e certificar os resultados. Os desenhos gerados somente se tornam um projeto estrutural quando são adequadamente validados pelo engenheiro. Nenhum software vai substituir a experiência do engenheiro.

Como o Concreto 100 ajuda a validar os resultados?

Visando auxiliar o engenheiro na tarefa de validar os resultados, o Concreto 100 emite, além de mensagens de advertências e anomalias, um relatório denominado Resumo Estrutural. Este resumo contém, de forma concisa e resumida, todas as informações relevantes (qualitativas e quantitativas) do projeto. Desta forma, o engenheiro pode verificar se as dimensões dos elementos estruturais são adequadas às solicitações, se as deformações estão nos limites prescritos pelas normas, se as cargas efetivamente aplicadas em cada pavimento são as esperadas para aquele tipo de edificação, se os consumos de materiais (por área, por volume, etc.) estão adequados, etc. Assim, o engenheiro estrutural passa a ter o total controle sobre a qualidade do projeto em estudo, podendo evitar, inclusive, eventuais incorreções no fornecimento de dados.

Por Heloisa Medeiros

Clique aqui para mais informações