Logística pode melhorar fluxo de produção no canteiro de obras | PiniWeb

Notícias

Logística pode melhorar fluxo de produção no canteiro de obras

9/Maio/2006
Entrevista

Logística pode melhorar fluxo de produção no canteiro de obras
O engenheiro civil Helio Flavio Vieira, que há 30 anos atua em obras rodoviárias, edificações e infra-estrutura portuária, acredita que a construção civil pode se beneficiar muito da logística. Disciplina criada após a segunda guerra, pode minimizar grandes problemas da construção, como geração de entulhos, perdas, desperdícios, ineficiência e descumprimento de cronogramas, de acordo com Vieira. Conheça nesta entrevista exclusiva à Piniweb os conceitos e técnicas para melhorar a eficiência operacional nos canteiros.

O engenheiro civil Helio Flavio Vieira, que há 30 anos atua em obras rodoviárias, edificações e infra-estrutura portuária, acredita que a construção civil pode se beneficiar muito da logística. Disciplina criada após a segunda guerra, mas que começou a ser efetivamente empregada como metodologia operacional após 1990, a logística se aplicou principalmente à indústria de produção em série. Agora, a construção importa do setor industrial seus princípios, conceitos e técnicas para melhorar a eficiência operacional nos canteiros. Pós-graduado, com mestrado e doutorado em Logística e Transporte pela Universidade Federal de Santa Catarina, Vieira adaptou os conceitos ao setor da construção civil, que necessita a cada dia tornar-se uma atividade racionalizada, previsível, seriada e eficiente.

Segundo ele, os grandes problemas da construção, tais como a geração de grandes volumes de entulhos, perdas, desperdícios, ineficiência, e descumprimento de cronogramas, podem ser minimizados com o planejamento logístico. Ele defende a aplicação da disciplina desde a etapa de desenvolvimento dos projetos, momento em que deve haver preocupação com a compatibilização e integração entre eles, a fim de minimizar as interferências durante a execução, facilitando o fluxo produtivo. O livro de autoria de Vieira - "Logística Aplicada à Construção Civil" - está sendo lançado pela PINI e trata com detalhes o assunto. Leia abaixo entrevista com o autor que mostra como adotar essa ferramenta para melhorar a produtividade no canteiro de obras.

Em que aspectos este livro poderá ajudar os empresários a entenderem os conceitos de logística?

A evolução da logística no âmbito empresarial começou após a Segunda Guerra Mundial, mas seu verdadeiro apogeu ocorreu após de 1985. No Brasil, eu diria que ela começou a ser efetivamente empregada como uma metodologia operacional empresarial após 1990. Dito isso, percebe-se que ainda não é uma ferramenta com um histórico de aplicação muito longo. Se considerarmos o setor da construção civil, esse histórico de aplicação praticamente inexiste. Somente agora alguns estudiosos do tema logística, devido os problemas crônicos do setor, começam a introduzir e divulgar as vantagens dela. Por outro lado, os empresários da construção vêm também percebendo, através do benchmarking no setor industrial, que essa metodologia administrativa pode, da mesma forma, beneficiar a construção. Sendo assim, é de extrema relevância qualquer estudo que venha a divulgar conceitos, técnicas e procedimentos logísticos, a quem tenha a pretensão de melhorar sua eficiência operacional.

Quais os principais problemas logísticos da construção civil? Quais as fases ou etapas da construção que exigem a preocupação com a logística?

Os grandes problemas da construção civil, apontados ao longo dos anos são, a geração de grandes volumes de entulhos por perdas e desperdícios, a ineficiência, o descumprimento de cronogramas, etc. Podemos apontar, sem medo de errar, que um dos grandes responsáveis por isso é a falta de um planejamento logístico inicial. Já na etapa de desenvolvimento dos projetos das diversas especialidades deverá haver uma grande preocupação com a compatibilização deles de forma a conduzir a um projeto construtivo que minimize interferências, facilitando o fluxo produtivo. Para se ter uma idéia, no Japão, por exemplo, são gastos 2/3 do tempo com projeto e 1/3 com execução. No Brasil esses fatores são invertidos. Nesta fase, deverão ser definidos os processos, tecnologias construtivas, materiais, etc., tudo objetivando a minimização dos custos e o aumento da eficiência. Uma vez efetuado um bom planejamento inicial, próximo passo é o desenvolvimento eficiente da obra propriamente dito e, para isso, o bom planejamento de um canteiro, com foco sempre nas diversas etapas construtivas.


Num sistema de notas de 1 a 10, qual a nota que a construção civil recebe no quesito logística? Como correr atrás do prejuízo?

A construção civil há alguns anos atrás levaria nota 1. Hoje isso começa a mudar devido a conjuntura atual. A competitividade no setor, especialmente no de edificações, está cada vez mais acirrada por fatores como escassez de financiamentos, maior exigências pela qualidade, direitos do consumidor. Isso torna necessário buscar melhores desempenhos operacionais. É exatamente esse o objetivo e a finalidade da logística. Porém, deverá ocorrer primeiramente a conscientização das reais vantagens e do que efetivamente a logística poderá proporcionar. Para isso, é necessário estudá-la e conhecê-la.

Logística e gestão empresarial estão intimamente ligadas? Quais os principais benefícios de adotá-la na produção de obras?

Eu diria que uma gestão empresarial eficaz, especialmente no setor de operações e processos, é proporcionada pela implementação de um processo logístico com consciência e determinação. Os benefícios que advirão quando aplicada construção serão os mesmos benefícios obtidos no setor manufatureiro seriado. Eu pergunto: se ouve falar que os setores manufatureiros seriados (empresas montadoras de carros, fabricantes de eletrodomésticos, etc.) apresentam perdas e desperdícios, descumprimentos de prazos, etc.? Se isso ocorresse seriam automaticamente excluídas do mercado. Nesses setores, a logística já vem sendo empregada desde que foi introduzida em nosso País.

A sopa de letrinhas e siglas que identificam as tecnologias operacionais e a TI ainda são um enigma para a construção civil ou já estão disseminadas no setor? Como fazer para conhecê-las e adotá-las de maneira eficiente e quais os benefícios que elas trazem?

Eu entendo que tecnologia operacional nada mais é do que a tecnologia da informação sendo utilizada para facilitação dos mais diversos processos produtivos. Essa tecnologia ainda não está disseminada na construção civil da mesma forma que está no setor seriado, muito pelo contrário, agora é que algumas grandes empresas construtoras vêm, de forma tímida, aplicando. Para implementação dessas diversas tecnologias deve-se primeiro conhecê-las, estudá-las ou buscar informações de especialistas como fornecedores que certamente irão estudar as especificidades da empresa interessada e indicarão as mais compatíveis. Com relação aos benefícios, são vários: agilização dos processos com aumento da produtividade e, conseqüente, redução de custos, maior eficácia do fluxo de informações, ou seja, aumento do nível de serviço de uma forma geral.

Perdas, desperdícios, retrabalhos no canteiro de obras, tudo isso pode ser reduzido com a logística?

Eu não tenho a menor dúvida. Vou responder essa pergunta, voltando a fazer a pergunta anterior: você ouve falar sistematicamente sobre esses problemas no que diz respeito às empresas do setor industrial? E como já mencionei anteriormente, esse setor vem aplicando de forma efetiva e determinada a concepção logística há muito tempo.

Qual a importância do planejamento logístico do empreendimento?

É fundamental. Se você for fizer uma festa e não planejar o local, quantos convidados terá, que tipo de bebidas irá servir, que tipo de doces e salgadinhos serão oferecidos, onde irá comprá-los e como ficarão dispostas mesas para os convidados, será um desastre. O planejamento inicial é a base da logística, já que ela apresenta como característica fundamental o enfoque sistêmico, onde todas as atividades e tarefas são consideradas como interligadas, interdependentes e intervenientes. Sendo assim, o planejamento inicial deverá prever todas as atividades e planejá-las de forma sistêmica.


Quais as principais estratégias logísticas para a construção civil?

Entre as estratégias logísticas, primeiramente, a mais óbvia é a conscientização e introdução efetiva de um processo logístico; implementação de tecnologias de informação nos processos; utilização de sistemas de parcerias com fornecedores; adoção, de forma mais disseminada, do processo de industrialização na construção e de técnicas construtivas; terceirização de serviços, transferindo parte dos processos do canteiro para os fornecedores; melhor planejamento dos canteiros de obras.

Quanto mais industrializada, mais a construção terá de recorrer à logística? Por que?

Quanto mais industrializada a construção, mais ela se assemelha à indústria seriada. O grande diferencial da construção civil é que suas tarefas geralmente não são repetitivas, não existe um padrão contínuo das atividades, a manufatura (fábrica) nunca é no mesmo local, entre outros. Com a industrialização esses fatores são minimizados, fazendo com que se aproxime o quanto possível de um processo de montagem. Isso conduz a que os processos se desenvolvam de uma forma totalmente diferente. Os equipamentos exigidos são tecnologicamente mais sofisticados, a mão-de-obra mais qualificada, o fluxo de suprimentos é mais rigoroso e também os prazos. Há um maior número de fornecedores fazendo exigências. Ou seja, é necessário um complexo controle no fluxo de suprimentos e um menor controle nos aspectos relacionados com as especificações técnicas estruturais de projeto, as quais são de maior responsabilidade do fornecedor. Com tudo isso e mais alguma coisa, nós chegamos à conclusão que logística torna-se fundamental nesse contexto, já que é justamente essa a sua função: o fluxo de suprimentos.

O que falta para que a construção civil brasileira adote a industrialização de maneira mais efetiva?

Maior conscientização da metodologia logística. Com este conhecimento, certamente o empresário da construção poderá fazer uma melhor análise das vantagens e dos benefícios proporcionados por essa estratégia no desenvolvimento do projeto. Os problemas relacionados à carência de fornecedores para industrialização são comuns. Isso decorre da falta de iniciativa dos empreendedores na utilização dessa estratégia, ou seja, pouco consumo do produto oferecido, pouco fornecedor. No momento que for mais empregada a iniciativa da industrialização mais fornecedores surgirão e mais a qualidade dos produtos oferecidos aumentará.


Veja o PDF das primeiras páginas



Clique aqui e conheça o livro

Veja também

Téchne :: Téchne Educação :: ed 209 - Agosto de 2014

Falhas potenciais em orçamentos

Téchne :: Téchne Educação :: ed 209 - Agosto de 2014

Prova comentada - Gabarito - Recebimento e controle do concreto