Qual a melhor forma de vedar os caixilhos de alumínio contra a infiltração decorrente das chuvas? Qual o detalhe construtivo que apresenta melhor desempenho? Pingadeiras, silicone, assentamento na alvenaria específico? Qual a forma de prevenir esse... | PiniWeb

Notícias

Qual a melhor forma de vedar os caixilhos de alumínio contra a infiltração decorrente das chuvas? Qual o detalhe construtivo que apresenta melhor desempenho? Pingadeiras, silicone, assentamento na alvenaria específico? Qual a forma de prevenir esse...

12/Dezembro/2000
Pergunta elaborada por Júlio César Caro Vilagra(Taubaté-SP); Resposta de referência por Vera Fernandes Hachich( IPT-Divisão de Engenharia Civil); Palavras-chave: umidade, infiltração de água, caixilhos, selante, ensaios, manutenção; Abordagem(ns): Estanqueidade à água, Alumínio
Qual a melhor forma de vedar os caixilhos de alumínio contra a infiltração decorrente das chuvas? Qual o detalhe construtivo que apresenta melhor desempenho? Pingadeiras, silicone, assentamento na alvenaria específico? Qual a forma de prevenir esse problema?
Caso o edifício esteja na fase de projeto, alguns cuidados devem ser tomados para minimizar a infiltração de água, tais como evitar grandes panos de vidro na direção preferencial do vento, proteger as janelas com detalhes construtivos como molduras e ressaltos e, se possível, recuá-las em relação à fachada. Durante a fase de especificação dos produtos e de sua aquisição, a escolha de janelas estanques é fundamental.

A atual norma de caixilhos - NBR 10821, prevê diferentes graus de estanqueidade em relação à região do País. Associa-se também o tipo de uso à estanqueidade desejada, destacando-se as classes de uso:
- I: edificação até dois pavimentos;
- II: edificação até 12 m de altura;
- III: edifícios com mais de cinco pavimentos;
- IV: arquiteturas especiais (shoppings, hospitais, indústria etc).

Para o estabelecimento do critério relativo à estanqueidade à água, a norma considera uma condição climática crítica, representada pela ação simultânea de chuva e de vento. Tal fato justifica-se porque a penetração de água no edifício corre sobretudo pela ação do vento, fluindo a água através de frestas ou juntas mal vedadas ou que se abrem quando há deformação dos seus perfis, em função da pressão exercida pelo vento.

Outro aspecto que deve ser considerado é o tipo de penetração de água que se admite quando a janela é submetida às pressões de vento. Destacam-se dois tipos:
- o vazamento, caracterizado pelo aparecimento de gotas ou filetes de água na face interna da janela;
- o escorrimento, caracterizado pelo aparecimento de um filete de água contínuo que, transbordando da janela, flui pela parede.

Em termos de avaliação, a norma prevê a realização de ensaios de estanqueidade de acordo com:

Tipo de edifício/ Região do País Pressão de estanqueidade
classe da janela (ver mapa na NBR 10821) valores da norma NBR 10821 (Pa)
Vazamento Escorrimento
Até dois pavimentos - Normal I 30 50
Até 12 m - Melhorada II 40 70
Mais de 5 pavimentos - Reforçada III 50 90
Arquiteturas especiais IV 60 110
Excepcional V 70 140

A vazão de água incidente adotada é de 4 L/min.m2, para quaisquer pressões.

Se o edifício já está em uso, a solução se limita ao preenchimento ou substituição do material de enchimento das frestas com material de vedação adequado (selantes, guarnições ou escovas, dependendo do local e dimensões da junta a ser vedada) e na criação de ressaltos, molduras ou pingadeiras que promovam o descolamento da lâmina de água em relação à superfície da fachada. Se o problema for de grandes proporções, as substituição de parte ou de todo o caixilho pode ser necessária.