Qual o traço ideal para argamassa de assentamento de tijolos maciços comuns e furados ("baiano")? Devo usar cimento + cal? Tenho usado um traço de seis latas de areia média, seis latas de areia de cava e uma lata de cimento (CP 32) e algumas vezes a... | PiniWeb

Notícias

Qual o traço ideal para argamassa de assentamento de tijolos maciços comuns e furados ("baiano")? Devo usar cimento + cal? Tenho usado um traço de seis latas de areia média, seis latas de areia de cava e uma lata de cimento (CP 32) e algumas vezes a...

12/Dezembro/2000
Pergunta elaborada por Antônio J. M. F. Cunha(Campinas-SP); Resposta de referência por Ercio Thomaz( IPT-Divisão de Engenharia); Palavras-chave: alvenaria, argamassa de assentamento, saibro, caulim, arenoso, traços, retração, desagregação; Abordagem(ns): Argamassas, Cerâmica, Qualidade na execução
Qual o traço ideal para argamassa de assentamento de tijolos maciços comuns e furados ("baiano")? Devo usar cimento + cal? Tenho usado um traço de seis latas de areia média, seis latas de areia de cava e uma lata de cimento (CP 32) e algumas vezes a massa, depois de seca, fica "esfarelante"; devo molhar o tijolo para evitar isso?
A recomendação técnica mais difundida para a preparação de argamassas de assentamento prevê a proporção 1:3 em volume (aglomerante e agregado, respectivamente), sendo muito usual o traço 1:2:9 (cimento, cal hidratada e areia). Algumas construtoras brasileiras têm adotado proporções de 1:4 (1:2:12), e às vezes até 1:4,5, com resultados relativamente satisfatórios em alvenarias de vedação.

O traço mencionado na consulta (1:12) é acentuadamente pobre em aglomerante, principal razão do "esfarelamento" relatado. Outra razão é o emprego de "areia de cava", presumivelmente rica em materiais siltosos e argilosos, exigindo grande quantidade de água para molhagem dos finos; dessa maneira, eleva-se consideravelmente a relação água/cimento da argamassa, aumentando a retração de secagem e "enfraquecendo" a matriz de cimento.

O emprego de cal hidratada (com adequada qualidade) melhora substancialmente o comportamento das argamassas de assentamento, tanto no estado fresco (maior plasticidade) como no estado endurecido (maior poder de acomodação de recalques, de acomodação de movimentações higrotérmicas da alvenaria etc). Pela presença do material argiloso, o emprego de areia de cava melhora muito a plasticidade de argamassa fresca mas, em contraposição, piora praticamente todas as demais propriedades da argamassa (retração, aderência, permeabilidade etc.).

Componentes de alvenaria muito ressecados ou com elevado poder de absorção de água devem receber prévia umidificação (não saturação), restringindo-se a sucção da água de amassamento da argamassa (o que, a partir de determinados níveis, prejudicaria as reações de hidratação do cimento).
Para mais detalhes, favor consultar Publicação IPT no 1767 - "Paredes de vedação em blocos cerâmicos - Manual de execução".

Relativamente a traços das argamassas de assentamento, favor consultar ainda resposta à pergunta 97.