CBCS lança ferramenta de seis passos para seleção de materiais sustentáveis | PiniWeb

Sustentabilidade

CBCS lança ferramenta de seis passos para seleção de materiais sustentáveis

Passos apontam para escolha de empresa alinhada a princípios de sustentabilidade

Mauricio Lima
24/Março/2011

Marcelo Scandaroli
O Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS) lançou uma nova ferramenta online para a escolha de fornecedores alinhados a princípios de sustentabilidade. O tutorial, dividido em seis passos básicos, já está disponível no site do CBCS.

A iniciativa surge a partir de uma parceria da CBCS com a Associação de Fabricantes de Materiais (Abramat), a Companhia de Desenvolvimento Urbano de São Paulo (CDHU) e a Editora PINI, e conta com o apoio da Associação Nacional de Fabricantes de Cerâmica para Revestimento (Anfacer).

"A expectativa é de que o setor dê um salto de qualidade, reduzindo a necessidade de reposição e manutenção e minimizando o consumo de recursos naturais e os impactos ambientais da atividade de construção", afirma Vanderley John, coordenador do comitê de materiais do CBCS e conselheiro da entidade.

Seis passos
Na primeira etapa, a ferramenta dá acesso, no site da Receita Federal, ao Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas para que o usuário identifique a formalidade da empresa. Na etapa seguinte, é possível verificar se o fornecedor possui licença ambiental para funcionar. Além disso, o usuário também é orientado sobre como selecionar madeira de origem legal.

Em um terceiro momento, o profissional pode checar se o fornecedor está envolvido em casos de trabalho escravo ou infantil. O respeito às normas técnicas e as certificações de qualidade pelo Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) são verificados na etapa seguinte.

Nos dois últimos passos, a ferramenta oferece roteiros identificar a política de responsabilidade social do fornecedor e eventuais práticas de propaganda enganosa.

Segundo Vera Hachich, conselheira do CBCS, não há sustentabilidade sem que haja o cumprimento da legislação do país. "Se você comprar um produto sem origem confirmada ou que não esteja em conformidade com a legislação brasileira, você não está fazendo uma construção sustentável. Este é o grande alerta que a ferramenta dos seis passos vai dar ao mercado", afirma Vera.