Começa o Solar Decathlon Europe 2012 na Espanha | PiniWeb

Sustentabilidade

Começa o Solar Decathlon Europe 2012 na Espanha

Protótipos de 19 equipes para casas sustentáveis participarão da competição até 30 de setembro. Conheça as propostas

Aline Rocha
19/Setembro/2012

O concurso internacional entre universidades Solar Decathlon Europe 2012, que promove o desenvolvimento de casas autossuficientes, foi iniciado na última sexta-feira (14) em Madri, na Espanha. Um espaço de 38,3 mil m² vai receber projetos de 19 equipes de universidades de todo o mundo até o dia 30 de setembro.

As casas desenvolvidas ficam expostas na Villa Solar e ao final do evento, uma comissão de jurados vai decidir o projeto vencedor do concurso. O Brasil está representado pelo projeto da Ekó House, desenvolvido pelos alunos da Universidade Federal de Santa Catarina e Universidade de São Paulo.

No site do Solar Decathlon, está disponível um ranking com as melhores pontuações até o momento. A China está em primeiro lugar, seguida pelos projetos da Itália e Espanha. Já o Brasil está em 8ª lugar.

Confira os projetos participantes:

Brasil - Ekó House

Divulgação

O projeto brasileiro consiste em uma casa de 50 m² com cozinha, banheiro, espaço para refeições, sala de estar, dormitório e área de serviço externa. A residência também possui geração de energia e descarte de resíduos, além de varanda dimensionada para controlar trocas de calor e separação de águas para serem tratadas e reutilizadas posteriormente.

Espanha - (e)co

Divulgação

Idealizada por estudantes da Escola Tècnica Superior d'Arquitectura del Vallès, da Barcelona Tech (UPC), a casa térrea de 150 m² possui três blocos internos como ambientes, sendo divididos entre dois quartos e uma cozinha.

Espanha - Patio 2.12

Divulgação

A equipe é formada por alunos das Universidades de Seville, Granada, Málaga e Jaén. A casa é um protótipo autossustentável formado pela junção de quatro módulos pré-fabricados que abrigam diversas funções e permitem a formação de um pátio no centro da estrutura.

Portugal - cem' casas em movimento

Divulgação

Os alunos da Universidade do Porto criaram uma casa sustentável que aproveita as fontes de luz e calor para produzir energia. Os espaços da residência também se adaptam aos habitantes com ambientes modulares que podem ser adicionados ou retirados da estrutura.

Japão - The Omotenashi House

Divulgação

Projetada por estudantes da Chiba University, a casa Omotenashi - que significa hospitalidade - se baseia em três conceitos: saúde e sustentabilidade; vida com as plantas; e conexão com o exterior.

Espanha - Pi

Divulgação

Os estudantes de arquitetura da Universidade de Zaragoza idealizaram a casa Pi, dividida em dois andares - o primeiro possui 70 m² e o segundo, 50 m². O protótipo, que não produz resíduos, é capaz de gerar toda a energia que consome.

Romênia - PRISPA

Divulgação

O projeto foi idealizado por estudantes da "Ion Mincu" University of Architecture and Urbanism, University Politehnica of Bucharest e Technical University Of Civil Engineering of Bucharest. Entre as soluções sustentáveis, está a configuração das janelas de modo que há o equilíbrio entre a luz incidente e o calor que reflete de dentro para fora.

Alemanha - Counter Entropy House

Divulgação

A equipe da RWTH Aachen University projetou uma casa de 50 m² dividida em quatro "blocos funcionais". O teto da casa ainda promove a integração entre energia fotovoltaica e térmica.

Dinamarca - Fold

Divulgação

Os estudantes da Universidade Técnica da Dinamarca projetaram uma casa que possui a forma de um papel retangular dobrado. A residência permite que seus moradores controlem o clima dos ambientes e diversas outras funções.

França e Itália - Astonyshine

Divulgação

O projeto foi idealizado por quatro universidades: France_Ecole des Ponts ParisTech, ENSA Paris-Malaquais, Italy Polytechnic of Bari e University of Ferrara. A casa possui uma planta quadrada, internamente dividida em dois retângulos, com um deles aberto para a área externa.

Egito - Arkan

Divulgação

A casa Arab, projeto da The American University in Cairo, tem entre seus principais elementos a madeira e o vidro. O teto ainda possui captação de energia solar e é inclinado para aumentar sua eficiência. 

França - Sumbiosi

Divulgação

A Sumbiosi foi projetada pelos estudantes da Universidade de Aquitaine, no Campus Bordeaux. O protótipo funciona exclusivamente com energia solar.

Espanha - SML system

Divulgação

Projetada pelos estudantes da Universidad CEU Cardenal Herrera, do campus de Valencia, a casa SML é formada por blocos modulares, que podem ser adicionados de acordo com a necessidade da família.

Espanha - Ekihouse

Divulgação

A Ekihouse foi projetada pela Universidad del País Vasco/Euskal Herriko Unibertsitatea e possui grandes janelas para maior incidência do sol, além de um teto solar.

Itália - Med in Italy

Divulgação

A casa foi projetada por uma equipe composta por diversas universidades da Itália, baseada em cinco conceitos considerados essenciais pelo grupo: passivo, ativo, rapidez, consciência ecológica e densidade.

Hungria - Odoo

Divulgação

A Budapest University of Technology and Economics apresentou o projeto de uma casa pequena que prioriza espaços externos, o que também permite a economia de energia.

França - Canopea

Divulgação

O protótipo da equipe de Rhône Alpes possui dois andares, sendo que o segundo oferece um espaço para relaxar, com ventilação natural. A casa também produz sua própria energia.

China - Para Ecohuse

Divulgação

Os alunos da Tongji University combinaram sistemas de energia passivos e ativos para criar uma casa autossustentável, além de fornecer bastante ventilação e uma varanda.

Alemanha - Ecolar

Divulgação

A equipe da HTWG Konstanz - University of Applied Sciences na Alemanha apresentou uma casa modular que tem como principal fonte de energia o sol, com painéis de captação solar instalados no teto.